Diretoria do Sindsems se reúne com Secretário de Educação do Município

Nesta sexta (18), o presidente do Sindsems, Gilvan Azevedo e os diretores do sindicato, Oclécio Marçal e Fátima Cunha, se reuniram com Herbert Lima (Secretário de Educação) e Susana Linhares (presidente do Fundeb de Sobral), para discutir sobre o Fundeb e a inserção dos readaptados na folha de pagamento 60.
Gilvan Azevedo iniciou a reunião falando sobre a reformulação do Plano de Cargos e Carreiras, dizendo que a versão atual está defasada, e sugeriu a criação de uma comissão para mudanças. O secretário de educação aceitou a proposta e colocou dois nomes da secretaria para fazer parte da comissão, pedindo também, que o presidente do sindicato indicasse mais dois.
Outro ponto da reunião foi a situação em que se encontra os professores readaptados, já que por estarem na folha 40, não têm direito a receberem os bônus que a educação oferece.
O presidente do sindicato pediu apoio a Herbert Lima para a mudança dos readaptados da folha 40 para a 60, assim estaria garantindo todos os direitos dos mesmos, além da lei assegurar que não haveria perdas para o município. O secretário garantiu apoio a mudança, mas pediu que fosse construído elementos jurídicos para que isso possa acontecer de forma legal , já que a lei municipal nao se sobrepõe a lei federal.
Outro assunto importante da pauta foi a prestação de contas do Fundeb. Herbert Lima fez questão de ressaltar que, em 2020 acabaria, e mostrou uma planilha com todas as percentagens dos gastos.
No relatório apresentando foi mostrado que, 60% do dinheiro do Fundeb, vai para a folha de pagamento dos professores. Já os 40% serve para os pagamentos de manutenções, equipamentos, materiais permanentes, obras, instalações, locação de mão de obra(terceirizada), estagiários, serviços de pessoas jurídicas(transporte escolar, manutenção de veículos), premiação dos professores, remuneração dos servidores( folha de pagamentos dos vigias, merendeiras, cuidadores, auxiliares de serviços gerais, professores do administrativo e técnicos de secretaria), além de outros serviços.
O diretor de finanças do sindicato, Oclécio Marçal, falou também ao secretário sobre a insalubridade das merendeiras, já que as efetivas não recebem, Herbert Lima, disse que o número de funcionárias eram pequenas e que em conversa com o prefeito, estariam se organizando para começar a pagar a insalubridade das referidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *