Em agosto comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Fumo, o Sindsems reuniu informações sobre os danos causados pelo o cigarro

No dia 29 de agosto comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Fumo. Criado em 1986, pela Lei Federal 7.488, as ações desse dia procura sensibilizar e mobilizar a população sobre os danos do uso do cigarro.

Sobre os danos causados pelo cigarro estão os sociais, políticos, econômicos e ambientais. Todos os anos, segundo o estudo “Tabagismo no Brasil: morte, doença e política de preços e esforços” feito com base em dados de 2015, são gastos pelo o Brasil R$ 56,9 bilhões com despesas médicas provocadas pelo o tabagismo, enquanto o país arrecada R$ 13 bilhões, esse valor cobre apenas 23% dos gastos.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer – INCA 428 pessoas morrem por dia no Brasil por causa do tabagismo, são mais de 200 mil mortes por ano, 12,6% de todas as mortes que ocorrem no país e esses números não param de crescer. Entretanto o Brasil é tido como um sucesso na diminuição de fumantes com relação a outros países. No mundo as mortes causadas pelo consumo do cigarro aumentou de 4 milhões, no início do século, para mais de 7 milhões, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

O cigarro, assim como outros derivados do tabaco, não possui uma quantidade segura de consumo. Somente na fumaça desse produto, por exemplo, encontramos mais de 4.700 substâncias tóxicas, algumas inclusive cancerígenas. O alcatrão e a nicotina são exemplos dessas substâncias maléficas ao organismo. Essa última substância age como estimulante do sistema nervoso central eleva a pressão sanguínea e a frequência cardíaca, diminui o apetite e desencadeia náusea e vômito. Já o alcatrão, que é formado por várias substâncias, está ligado a doenças cardiovasculares, câncer, entre outras.

O Sindsems mobiliza seus filiados a dizerem “NÃO AO CIGARRO”!

Fonte: Instituto Nacional de Câncer – INCA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *